Paróquia Nossa Senhora da Conceição - Porto Alegre, RS

Av. Independência, 230 - Centro - 90035-070 - Porto Alegre - RS

(51) 3224-0622

igrejaconceicao@igrejaconceicao.org.br

Artigos › 21/03/2019

Não faça desta Quaresma apenas mais uma em sua vida

“Concedei-nos, ó Deus Todo-poderoso, iniciar com este dia de jejum o tempo da Quaresma, para que a penitência nos fortaleça no combate contra o espírito do mal”.

A linda oração que abre este artigo trata-se de uma súplica entoada por toda a Igreja por ocasião da cerimônia de imposição das cinzas na Quarta-feira de Cinzas. Ela pode ser encontrada tanto no Missal quanto no Breviário Romano, e apresenta com singular clareza a tonalidade geral do Tempo Quaresmal: período de combate “contra o espírito do mal”. Assim, a Quaresma pode ser concebida como a etapa, por excelência, de luta contra os espíritos malignos.

Se recorrermos à Palavra de Deus, perceberemos que, após o batismo de Jesus e antes de sua vida pública, Jesus se retirou para o deserto e lá permaneceu por quarenta dias inteiros (cf. Mt 3;4). Sua permanência no deserto de nada possui um sentido de passividade, pelo contrário, lá, Jesus aniquilou todas as investidas do diabo. Ele jejuou, orou, combateu e triunfou sobre o mal. Com o seu exemplo, mostrou àqueles que seriam seus seguidores, o modo de combater. Por isso, durante a Quaresma, com todo esmero, devemos observar a prática do jejum e a luta cotidiana contra o diabo que se manifesta, dia e noite, por meio das tentações: pensamentos maldosos, momentos de raiva, julgamentos, maledicências (…).

Como surgiu o período quaresmal?

Desde os primeiros séculos do cristianismo, havia o costume de se fazer um curto período de jejum antes da Solenidade da Páscoa com um sentido de preparação para essa significativa celebração cristã. Aos poucos, esse curto período de tempo foi se estendendo e deu origem ao período da Quaresma como se tem hoje.

Esse tempo privilegiado da Quaresma se estende por cinco semanas. Inicia-se na Quarta-feira de Cinzas e encerra-se na Quinta-feira Santa, antes da Missa da Ceia do Senhor (exclusive). O número de dias da Quaresma não se relaciona apenas com os 40 dias que Jesus esteve no deserto. É associado também a muitas outras passagens bíblicas como os 40 dias e as 40 noites do dilúvio (cf. Gn 7, 12); os anos em que o povo hebreu perambulou no deserto (cf. Nm 14, 33) dentre muitas outras passagens.

Tempo de sobriedade e de exercícios espirituais

Durante todo o período quaresmal, a Igreja, pedagogicamente, incentiva a sobriedade. Basta notar a ornamentação dos espaços litúrgicos. Evitam-se as flores coloridas e melodias musicais extravagantes. Ao contrário, incentiva-se o silêncio que deve ser continuamente exercitado e resgatado em tempos de extremos ruídos. Esse silêncio exterior deve ajudar o fiel a encontrar-se com Deus e consigo mesmo. Silêncio considerado até mesmo ascético para o homem moderno, tão acostumado ao barulho. Silêncio que propicia a contemplação.

Assim como todas as sextas-feiras do ano, a Quaresma é um período próprio para os exercícios espirituais. Tempo de penitência, privações voluntárias como o jejum e a esmola; abstinências e outras formas de mortificação; orações, leitura e meditação das escrituras. Período, acima de tudo, para exercitar a caridade (cf. CIC 1438).

Todos esses importantes exercícios espirituais não devem ser vistos como um peso, senão, como um extraordinário meio de purificação. Eles auxiliam os fiéis a recordarem que o pecado traz gravíssimas consequências para todo o Corpo Místico de Cristo, sendo assim, um período propício para detestar o pecado e levar a todos às obras de misericórdia, ao Sacramento da Reconciliação e à Eucaristia.

Em suma, durante a Quaresma, cada fiel, na intenção da Igreja, deve aproximar-se um pouco mais daquele tipo de vida cristã mais perfeita, experimentada pelos ascetas e pelos santos. Não viva, caríssimo internauta, esse tempo de qualquer maneira. Que esta não seja apenas mais uma Quaresma de nossas vidas.

Para concluir este artigo, gostaria de deixar uma estrofe de um Hino rezado por toda a Igreja nesse Tempo Quaresmal durante o ofício das leituras dos dias de semana:

Agora é tempo favorável,
divino dom da Providência
para curar o mundo enfermo
com um remédio, a penitência.

Deus abençoe você e até a próxima!

Por Gleidson Carvalho, via Canção Nova

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.

NewsletterFique por dentro das novidades

X